Oct 14, 2009

Peraita, C. A vida fáctica em Heidegger: além da representação. Controvérsia - Vol. 5, n° 2: 77-86 (mai-ago 2009)
Faz-se necessário precisar, dada à amplitude e complexidade do pensamento de Heidegger, que este trabalho se centre exclusivamente em sua primeira época como docente em Friburgo (que tem demonstrado tão fecunda e decisiva) e que toma em consideração os cursos e escritos correspondentes a tal período.

Esta comunicação quer manter-se no marco das concepções e narrativas do sujeito. Se não sempre, pelo menos em seus primeiros anos, Heidegger dedicou seus esforços (desde
impulso proporcionado pela filosofia da vida) a proporcionar uma interpretação nova e radical do Dasein humano. É certo ainda que, em seus primeiros escritos, refere-se explicitamente ao ser si mesmo (Selbstsein) e, portanto, ao sujeito. Logo abandona esse tipo de denominação, motivado pelo desejo de evitar a dialética ocidental: sujeito-objeto. Ainda que considerando as restrições oportunas, seria possível (pelo menos em ordem do diálogo) entender sua hermenêutica da facticidade como única concepção ou narrativa do Dasein humano.

Post a Comment:

Designed By Blogger Templates | Templatelib & Distributed By Blogspot Templates